Armarinhos Teixeira

O artista plástico, Armarinhos Teixeira paulistano, vive e trabalha em São Paulo.

No seu trabalho, estuda a morfologia das coisas desde 1990, que estão entre a cidade, a mata e as áreas áridas. Numa via de expressão de intensidade, a construção de novos amparos, que se espalham como uma miragem contemporânea. A partir daí, cria em extensão: esculturas, instalações, desenhos e interrogativas em outras mídias. 

O projeto propõe identificação de estudos geográficos associados aos biomas e morfologias decorrentes e que atuam em três momentos distintos: 

No primeiro, a identificação de territórios e biomas brasileiros destacando-se aspectos culturais, geográficos e atmosféricos.

No segundo momento, integrar materiais sintéticos de origem industrial, integrando-os a outras matérias orgânicas, provocando, assim, uma articulação na qual se estabelecem as bases de um diálogo entre a ação humana e os fenômenos naturais 

Por fim, o terceiro encontro, a evolução desse processo simbiótico entre arte e natureza permite o surgimento de organismos vivos que se desenvolvem, tanto no interior do trabalho, quanto no seu exterior com a visita de animais que interagem com a obra híbrida e surpreendente na paisagem natural.

Essa integração de processos artísticos e naturais determina o conceito da Bioart.