Diógenes Moura

Diógenes Moura nasceu em Recife, Pernambuco. É escritor, curador de fotografia, roteirista e editor independente. Semifinalista do Prêmio Oceanos de Literatura 2019 com O Livro dos Monólogos - Recuperação para Ouvir Objetos, publicado em 2018 (Vento Leste Editora), acaba de finalizar Vazão 10.8 (A Última Gota de Morfina), romance que narra a morte de sua única irmã, no dia 01 de Janeiro de 2019, dia do aniversário do autor. O livro será publicado no início no primeiro semestre de 2021.
Em 2020 realizou O Olhar Não Vê. O Olhar Enxerga e Não Danifique os Sinais, mostras que estão em cartaz no Museu da Fotografia Fortaleza. Em 2018 fez a pesquisa e curadoria de Terra em Transe (concebido especialmente para o SOLAR FOTO FESTIVAL, Fortaleza, CE, 2018/2019), exposição que reúne cerca de 500 imagens de 53 fotógrafos brasileiros, com exibição em São Paulo prevista para Outubro de 2020, no Museu Afro Brasil.  
Foi Curador de Fotografia da Pinacoteca do Estado de São Paulo entre 1999 e 2013, onde realizou exposições, pesquisas e reflexões sobre o pensamento fotográfico/imagético e possibilitou o reconhecimento do acervo do museu como um dos mais significativos da América Latina. Como Curador recebeu quatro prêmios APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte).
Premiado no Brasil e exterior também recebeu o Prêmio APCA de Melhor Livro de Contos/Crônicas, em 2010, com Ficção Interrompida - Uma Caixa de Curtas (Ateliê Editorial). No mesmo ano foi finalista do Prêmio Jabuti, na mesma categoria.
Escreveu, entre outros, Fulana Despedaçou o Verso (Terra Virgem Edições, 2014) e  Drão de Roma - Dezembro Caiu (Fundação Casa de Jorge Amado, 2006).