Banco Trianon 2018


iadê - instituto de arte e design, apresenta

Banco Trianon de Nadezhda e Paulo Mendes da Rocha



Banco destinado ao espaço e uso urbano, participou do ‘Paulista para Todos’ em 2018, concurso de ideias para a Avenida Paulista. A ideia apresentada era espalhar pela avenida 10 unidades dos bancos propostos. 

O nome Trianon surge a partir da história do lugar. No contexto de abertura da Avenida Paulista no final do século XIX, construiu-se um ‘belvedere’ na região onde hoje existe o Parque Trianon e o MASP. Ali, havia um restaurante, com um mirante, que levava o nome de Trianon e a vista na época era uma cidade em crescimento e a natureza ainda bastante presente. “O banco recebe este nome em referência a esta ideia de ponto de encontro para se olhar a paisagem, mas hoje a vista é a própria cidade pulsante e seus transeuntes”, afirma Nana. 

O projeto não teve continuidade, até que em 2020, Adriana Bianchi do iadê, sugeriu para Nana e Paulo a materialização do mobiliário, por sua relevância de design e conceito urbano.

A visão de Paulo Mendes da Rocha para o banco, propõe novos horizontes e desenhos, reflete sua relação com a cidade, territórios, natureza, materiais, técnicas e seu entendimento do papel que a arquitetura deve desempenhar. Desenvolve um trabalho que é contraponto crítico à realidade e ao mesmo tempo um esforço para contemplar as necessidades colocadas pela imprevisibilidade da vida humana nos espaços. Sua habilidade foi de provocar a transformação do lugar que habitamos com fundamental interesse social e narrativa visual.

O Banco Trianon existe para servir e discutir o público e o coletivo através do design. Um banco inspirado na Paulista e nas possibilidades de convivência urbana. O projeto feito em parceria entre pai e filha, foi coordenado e finalizado sob o olhar atento de Nadezhda, que nos últimos anos acompanhou seu pai em alguns trabalhos. 

Como parte do programa de mostras de design realizadas pelo MuBE - Museu Brasileiro da Escultura e Ecologia, o Banco Trianon poderá ser visto pela primeira vez na área externa do museu, até 27 de março de 2022.


“O Banco Trianon sugere as diferentes formas de ver a cidade, de diferentes pontos de vista, possibilitando uma pausa na correria das cidades e o encontro entre pessoas desconhecidas.”

Nadezhda Mendes da Rocha

 

Banco Trianon 2018
Banco em aço carbono com 10 assentos articulados

Pintura eletrostática 

Medidas: AxLxP 65cm X 600cm x 58cm

Peso: 210 kg

 

”No âmbito da organização do espaço devemos estabelecer territórios reconfigurados para que os ideais humanos se efetivem.” 

Paulo Mendes da Rocha